Páginas

domingo, 10 de agosto de 2008

ALICERCE...


E por falar em casamento,eu acredito... apesar de tudo,principalmente quando quase todas as minhas amigas estão separadas... eu até já me senti uma estranha no ninho por ser a única casada.
Mais lembrando da minha infância eu tive um pai e uma Mãe que me passou uma idéia de casamento muito boa, que as mulheres tinham que casar para serem "felizes".
felicidade esta que desde pequena eu indagava e que veio mais a tona quando entrei na faculdade de história ,quando li e reli a origem da família propriedade privada e o casamento, que resumindo fala das três formas principais de matrimônio, que correspondem aos três estágios da evolução humana:

Estagio selvagem – matrimônio por grupos

Barbárie – matrimônio sindiásmico

Civilização – Matrimônio monogâmico

O matrimônio começou a depender inteiramente de condições econômicas ,quando os interesses de transmissão de riquezas por herança fizeram nascer a preponderância do direito paterno e da monogâmia e quando a propriedade privada se sobrepôs à propriedade coletiva.


Eu estava mais para aquela personagem do filme o sorriso de Mona Lisa, com Júlia Roberts onde a atriz interpreta a professora de história da arte,considerada liberal para época fazendo uma revolução na mente das alunas,lutando para incutir um ideal libertário e de vanguarda desejando retirar delas o fardo de serem preparadas para o casamento.
Mais eis que chega o AMOR...,amor que vai além de tudo...que você não explica,vem de mansinho e vai lhe dominando eu tranquei até faculdade para me casar e casar para morar no interior que nâo era aquele interiorzinho civilizado Não... era interior brabo que não tinha pizza,cinema,shoping livrarias,faculdades... só tinha uma pracinha uma feira e uma igreja...
Mais quem disse que este amor me deixou ser submissa arregacei as mangas e levei para aquela cidade o que eu mais gostava que era dançar...polainas coloridas e all that jazz... coberto com ginásticas fiz grandes amigas ,grandes alunas e fui de cidade em cidade levando o meu trabalho de professora de danças (o meu circo)
e o meu marido, claro achava muito bom ,porque nós somo diferentes,( é aí onde está o borogodó) enquanto eu sou elétrica e mexo ,danço ,ele è mais calmo mais ligado aos números ou seja a união perfeita de uma professora de ginástica e dança com um engenheiro eletrônico onde eu me sentia e ainda sinto até hoje apôio dele na minha profissão, aì está uma diferença que deu certo, eu continuei na minha profissão sendo apoiada atè hoje com confiança,amizade,companheirismo,solidariedade... e diferenças que foram aprendidas respeitadas,com altos e baixos(lembrei agora de um texto sôbre o casamento onde um sábio mandou que o casal de uma grande aldeia antes de casar, amarrasse dois passáros livres e belos pelas patas ficando amarrado por um Mês,para ver como eles ficariam depois de um tempo... os dois passáros começaram a se bicar e morreram)
Assim é o casamento é o respeito á individualidade do outro a liberdade, aceitar
as diferenças, não é esperar que o outro lhe faça feliz e sim ser feliz para o outro lhe amar e gostar de você pelo que você é.
Quando um casamento termina a culpa nâo é da sociedade,do mundo , dos filhos... a culpa é dos dois porque respeito é bom e nós gostamos...
Eu passo para as minhas filhas que elas devem primeiro: se amar, se gostar, estudar, trabalhar, é esta a maior herança que eu posso deixar para as minhas filhas porque ninguém rouba a dignidade a profissão ,o conhecimento e a auto estima de uma mulher ela estando bem ela vai conseguir um companheiro que acrescente,que some,multiplique e não que subtraia...

o sonho de qualquer pai e mãe é ver seus filhos voando porque eles não nascem para nós e sim para viver intensamente,aprender voar com as suas próprias assas e que o nosso genrro seja um filho e que a nossa familia cresça se perpetue ... tem que ter alicerce... como fala a musica que vcs estão escutando
eu acredito sim no casamento e vocês o que acham...
ps:I love you... (antes que seja tarde)

3 comentários:

Carla disse...

É muito bonito ler aquilo que escreve. Felizmente, os meus pais já vão em 26 anos de casamento e passam-me exactamente esses valores. Não o casamento de papel assinado mas a partilha, companheirismo, compreensão e respeito para com o companheiro. Tudo isto é importante e não pode ser esquecido, independentemente da duração da relação.
Espero que a vossa felicidade perdure toda a vida, sempre acompanhados pelas filhas e neto, quiçá mais netos =)

bjs, boa semana!

Lady tanásia disse...

Engraçado o mesmo acontece comigo quando faço um balanço dos relacionamentos de pessoas com as quais convivi nesta trajetória de mudanças que já passei.A maioria das pessoas já não estão juntas.
Gostei da postagem para refletir:Pois hoje estou fazendo 29 anos de casada.
Gostaria de dizer muita coisa,mas a postagem é tua não posso me empolgar!Desculpa aí já escrevi demais...
Abraço carinhoso,
Lady

Milla&Ticão disse...

Olá tesoureira (rs)!!!! entrei no seu blog para curia tb e adorei viu... então estou noiva e só me caso "se Deus quiser" em 2010... ai estou procurando dicas e idéias em alguns blogs.... pode ficar a vontade viu de comentar... perguntar... o que quiser....

Beijokas :)